terça-feira, 18 de outubro de 2011

Ordem dos Standupistas do Brasil Criará Exame para Ingresso na Profissão




Está confirmado. Depois de criada no último mês de setembro, a OSB - Ordem dos Standupistas do Brasil, que agrega todos os artistas adeptos dessa forma de humor, irá lançar o edital n. 001/2011 que abrirá vagas para ingresso nos quadros da carreira mediante aprovação em certame que será realizado pela CESPE/UNB.

Segundo Paulinho Bigó, presidente em exercício da OSB (em virtude do afastamento do Presidente Rafinha Bastos depois de anunciar sua disposição fetofágica), a criação de um exame admissional passou a ser medida imprescindível diante do crescente número de profissionais no mercado e da constante reclamação por parte do público em razão de apresentações toscas e sem a mínima graça.

"Foi a única alternativa que encontramos para oferecer um controle maior sobre a qualidade e o nível da comédia stand-up no Brasil. No começo foi difícil para muitos aceitar a ideia, na verdade a maioria acreditava que isso não passava de uma piada, como são, na verdade, a maioria de nossos informes e deliberações, mas está confirmado!", falou o Presidente Bigó.


Exemplo de Comediante Sem Graça

A prova terá duas fases. Na primeira o candidato será submetido a um exame objetivo, que o indagará sobre a origem do humor stand-up, suas variadas vertentes no Brasil, a criação de piadas através do cotidiano, episódios de Seinfeld e maneiras práticas de forçar a plateia a rir de algo que não tenha sentido. Na segunda fase, de posse de um microfone, em um palco sem cenário, o candidato terá quinze minutos para submeter sua apresentação ao crivo de uma banca examinadora formada por Marquito, Agildo Ribeiro e Arnaldo Saccomani.

O stand-up tem suas raízes em variadas tradições do entretenimento popular americano do final do século XIX, incluindo o vaudeville, (teatro de revista) e monólogos humorísticos.

Os "mestres de cerimônia" começaram a aparecer em clubes noturnos apresentando grandes bandas e abrindo shows de outros artistas.
Os tópicos se caracterizavam por improvisações e discussões sobre qualquer coisa, desde os últimos filmes até um aniversário esquecido.

Richard Pryor e George Carlin, seguindo o estilo de Lenny Bruce, se transformaram em ícones da contracultura. Steve Martin e Bill Cosby tiveram nível similar de sucessos com números mais suaves. Muitas estrelas do stand-up obtiveram grandes contratos com a televisão e também com estúdios de cinema, como Robin Williams, Eddie Murphy e Billy Crystal.

Por volta de 1990 a comédia stand-up ganhou nova força através de nomes como Jerry Seinfeld, Ellen DeGeneres, Roseanne, Tim Allen, Chris Rock e Ray Romano.

O gênero do "one man show" que é semelhante, mas permite outras abordagens (interpretação de personagens, músicas, cenas) foi introduzido no Brasil por José Vasconcelos, na década de 60. Aproximando-se mais ainda do estilo americano, Chico Anysio e Jô Soares mantiveram o gênero - principalmente em seus shows ao vivo, e geralmente, na abertura de seus programas - se aproximando da comédia stand up como vemos hoje.

Há hoje vários comediantes exercendo o gênero no Brasil.


Jerry Seinfeld- Referência do Gênero

Veja os tópicos do edital que irão constar na prova objetiva:

"1 - STAND-UP: Conceito, origem, história. 2 - O HUMOR AMERICANO. 3 - A TELEVISÂO. 4 - PIADAS SOBRE O COTIDIANO. - 4.1. ENGARRAFAMENTO. - 4.2. FILA. - 4.3. CONTROLE REMOTO. - 4.4. CASAMENTO. - 4.5. PROPAGANDAS.- 4.6.GORDOS - 4.7. POLÍTICOS - 4.8. ENLATADOS - 4.9. - FILMES - 5 - PIADAS COM COISAS IDIOTAS E/OU ODIADAS POR TODOS: Emos, Extratos de Tomate etc".

Ocorre que nem todos estão satisfeitos com tal medida. Antes da conclusão de nossa postagem, através de contato telefônico, a Associação dos Paulistanos de Classe Média Metido a Engraçadinhos nos informou que já acionou seus advogados e irão ingressar com as ações cabíveis no intuito de garantir a todo o sujeito sem graça, ou sem vocação pra nada na vida, exercer uma profissão.

"Trata-se de uma garantia constitucional! A OSB busca tão somente criar reserva de mercado! Os últimos estudos mostram que o gênero stand-up tem sido o maior gerador de empregos no Brasil, mais até que a construção civil, sem contar o relevante serviço para a sociedade. Muitos jovens mimados e exibidos de nossa classe abastada, ao invés de se entregarem ao incendiarismo de indígenas, vêm encontrando no humor uma saída para a falta de graça, banalidade e trivialismo de nosso cotidiano!", falou o Diretor da Associação, Oscar Filho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário