quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Diário de um Bêbado III - Havana


Infaustos Leitores,

O meu, o seu, o nosso aro segue em sua expedição ébria narrando um pouco sobre os dias que passamos na ilha de Fidel, Camilo, José Martí, Nicolas Guillen, Reinaldo Arenas, Compay II e Mirela.

Desembarcando no aeroporto de Havana, partimos diretamente para o que interessava: Experimentar a famosa cerveja bucanero...



O rótulo avisa: "Fuerte". É mesmo. Maravilhosa. Encorpada como deve ser para se enfrentar o calor caribenho. Depois de algumas latas seguimos adiante já trôpegos.

Praça da Revolução, Habana Vieja e Malecon, em uma tarde só. De noite o negócio é caminhar pela Calle Obispo e parar em cada bar com música ao vivo e, lógico, encher a caveira.

Pare a cerveja por um instante e parta para os famosos Mojito e Daiquiri, bebidas feitas com rum e limão.

O mais interessante disso tudo é se embriagar e acordar no outro dia pela manhã. Quem já tomou porres homéricos sabe da sensação que se tem quando se acorda no dia seguinte.

Demora alguns segundos pra você assimilar o que aconteceu. Enquanto isso nos perguntamos:"Quem sou?", "Onde estou?", "Para onde vou?", "Quem me atropelou?".

Enfim, tal estado de confusão se agiganta muito mais quando acordamos em um país diferente e que fala outro idioma.

Passagem para Cuba: R$ 1.400,00
Litros e litros de Cerveja e Rum: R$ 500,00
Acordar em um quarto estranho com um monte de gente falando espanhol ao teu redor: não tem preço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário